segunda-feira, 17 de maio de 2010

no mundo dos táxis (IV)

(só mesmo para agradar à clientela)

«Eu - Boa noite, era para a margem sul, Corroios.
Taxista - Tudo bem, mas olhe que não sei onde isso fica.
Eu - Não se preocupe, eu indico-lhe o caminho assim que sairmos da ponte.

(...)

Taxista - Que idade é que tem?
Eu - Erm... tenho 20. Porquê?
Taxista - Pensei que tivesse mais.
Eu - Pois. Costumam achá-lo.
Taxista - Mas faz-me lembrar o meu filho.
Eu - Erm, isso é bom, não?
Taxista - Sim. Ele trabalha como técnico de informática. Estuda informática?
Eu - Não não. (*marlon inventa um curso à pressa para não ter de explicar o que é Ciência Política e Relações Internacionais*) Estudo Arquitectura.
Taxista - Ah, então é mais como o meu outro filho.
Eu - Ah sim? Estuda onde?
Taxista - Na Faculdade de Arquitectura. Se calhar conhece-o.
Eu - Não creio. Passo lá pouco tempo. Às vezes ainda me questiono se sei onde aquilo fica.

(...)

Taxista (na ponte) - Desculpe, hoje estou bastante mal.
Eu - Compreendo. Todos temos dias assim.
Taxista - Sabe, é que a minha mulher me deixou por um rapaz mais novo.
Eu - Pois, isso é complicado, realmente.
Taxista - E o meu filho, sabe, aquele de arquitectura, não lhe falo há anos. Roubou-me o dinheiro todo.
Eu - Pois, isso também é complicado. Há filhos que não sabem bem como ser filhos.
Taxista (a chorar) - Eu já pensei em me matar.
Eu (*olha para o lado, vê o carro a andar em ziguezagues*) - Mas repare, a vida é bela... (*carro aproxima-se da berma da ponte. marlon entra em pânico*) E há passarinhos.
Taxista - Há passarinhos?
Eu - Sim, há passarinhos. Foi a primeira coisa que me lembrei de dizer.
Taxista (continua a chorar fortemente) - Sabe, eu pensei em atirar-me desta mesma ponte.
Eu (*em grande pânico e a pôr as mãos à cabeça*) - ESPERE AÍ! JÁ LHE DISSE QUE TENHO VERTIGENS?
Taxista (*ainda a chorar*) - Eu também. Por isso é que não me consegui atirar.
Eu - Mas tentou mesmo?
Taxista - Sim.
Eu - Certoooo. Olhe, já saímos da ponte. Que bom que é pisar terra firme, não é?

(...)

Eu - Ora, posso ficar aqui. Muito obrigado. (*marlon atira uma nota de 20 e sai porta fora a correr*) FIQUE COM O TROCO.»

4 instantâneas:

Ana disse...

Made my day. (Só para não ser diferente, adoro esta crónica de taxistas :)

Polaroids and Cigarettes. disse...

Todos adoram, o que é estranho.

Anónimo disse...

Hahahhaha.
Muito bom.

Keep it.

2074

Polaroids and Cigarettes. disse...

Obrigado caro Anónimo.

Enviar um comentário