quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

preciso de café,

e o mais próximo que existe nesta casa é terra. Também é castanha. Pode ser que...

Na realidade cheguei a casa e pensei: "Vou beber um café porque tenho um exame amanhã, estou a morrer de sono e preciso urgentemente de acordar". Decidi ir ao café onde sou habitué. Estava fechado. Merda, agora fecha mais cedo! Volto então para casa e decido fazer um café. As hipóteses eram:

Café instantâneo - passou de prazo em 2006 (para ser sincero nem sei o que continuava a fazer ali o jarro);

Café moído que a minha mãe acidentalmente comprou porque, bom, eu não tenho máquina - ofereceu à vizinha;

Capuccino - não tinha passado de prazo mas estava contaminado com bichos nojentos;

Chá verde - passou de prazo em 12/2009. Pensei em beber, até notar que tinha cogumelos a nascerem nos sacos;

Vizinha - como é viciada em comprimidos para dormir, acabou por não me abrir a porta apesar de, 5 minutos antes, ter aberto a porta à minha mãe. Foi antes de tomar os medicamentos;

Encontrar alguma cafeína espalhada pelos armários - Resultou em encontrar três bagos de feijão catarino que, muito provavelmente são de 1987.

Portanto, estou sem café.

1 instantâneas:

Pedro disse...

e eu a pensar que catarino era só o arroz ..

Enviar um comentário