segunda-feira, 15 de junho de 2009

um adeus português.

«Nesta curva tão terna e lancinante
que vai ser que já é o teu desaparecimento
digo-te adeus
e como um adolescente
tropeço de ternura
por ti.»

Alexandre O'Neill

4 instantâneas:

é. disse...

Não quero saber do que os outros dizem: esse poema é meu.

Polaroids and Cigarettes. disse...

É cultura, logo é do povo.

Inbejosa.

é. disse...

Não. É meu :(

Polaroids and Cigarettes. disse...

Possessiva.

Enviar um comentário